Page Navigation

HIDE

Grid

GRID_STYLE
FALSE
HIDE_BLOG

Ads Place

A Suficiência das Escrituras

Da suficiência das Escrituras A Igreja Católica Romana diz que a Bíblia é materialmente suficiente, mas não formalmente sufic...



Da suficiência das Escrituras

A Igreja Católica Romana diz que a Bíblia é materialmente suficiente, mas não formalmente suficiente. Materialmente suficiente significa que tudo que o cristão precisa acreditar é encontrado na Bíblia. Formalmente suficiente significa que, para entender a Bíblia, a Igreja Católica Romana tem que interpretá-la.
O problema aqui é que essa posição sujeita a Bíblia à interpretação da Igreja Católica Romana, e basicamente torna a tradição sagrada superior às Escrituras -- uma vez que a igreja declara que a Bíblia não pode ser entendida, senão através do Magistério da Igreja Católica.
Outro problema é que nós cremos que doutrinas como a adoração a Maria, orações a Maria, sua concepção imaculada, o purgatório, penitências e etc, não são encontradas na Bíblia (suficiência material), naturalmente precisamos nos perguntar se a visão da Igreja Católica sobre suficiência formal é correta.
E ela não é. Porque penso assim?
Ora, a palavra inspirada de Deus, a Bíblia, faz asserções acerca da sua própria suficiência.
2 Timóteo 3:16-17 diz: "Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça,a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra."
Vamos dar uma olhada no grego.
A palavra "inspirada" é θεόπνευστος (theopneustos), que significa literalmente "soprada por Deus". Isso significa que era Deus que fazia o trabalho através de pessoas, soprando através delas as suas palavras. As Escrituras, portanto, são perfeitas e sem erro algum, porque elas vêm de Deus.
Paulo continua, e diz que essas escrituras são úteis para o ensino, para a repreensão, para a correção, e para a educação na justiça. No versículo 17, ele explica que isso é para que o cristão seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra. A palavra ἄρτιος (artios) é definida da seguinte forma:
  • Completo, capaz, proficiente, apto a cumprir todas as obrigações.
  • Completo, perfeito, adequado, perfeitamente apto.
  • Completo, perfeito. Referenciando a "aptitude especial para dados usos".

Podemos ver das três fontes de grego que Paulo está nos dizendo que as escrituras são "completas, aptas, adequadas, perfeitamente aptas,etc", e  em seguida nos diz que é assim, para que sejamos perfeitamente habilitados para toda boa obra.
A palavra grega para "habilitado" é (exartismenos), e significa:
  • Equipar, habilitar
  • Estar perfeitamente equipado ou preparado
  • Completar, terminar. Equipar perfeitamente.

Podemos ver que somos perfeitamente habilitados para toda boa obra. Todas as boas obras são explicadas no versículo anterior como ensino, repreensão, correção e educação na justiça.
Isso significa que a Bíblia é suficiente para todas essas coisas e naturalmente engloba o ensino doutrinário, uma vez que ensinar doutrinas corretas é uma boa obra, pela qual nós repreendemos, corrigimos e educamos. Além disso, isso significa que não precisamos da sagrada tradição para ensinar,repreender, corrigir ou educar na justiça, porque as Escrituras são suficientes para essas coisas.

 

E quanto à correção de erros?

Há algum lugar nas escrituras onde Jesus ou os apóstolos apelaram para a tradição para refutar erros?
Nós não sabemos de nenhuma ocorrência disso. As Escrituras, porém, são utilizadas repetidamente. Se as escrituras são suficientes e úteis para nos equipar para toda boa obra, não devemos esperar que a tradição seja consultada na hora da correção de erros. Nós devemos esperar exatamente o que nós encontramos, o apelo à palavra de Deus, como padrão pelo qual a verdade é ensinada e o erro é exposto.
  • Atos 17:2-3, "Paulo, segundo o seu costume, foi procurá-los e, por três sábados, arrazoou com eles acerca das Escrituras, expondo e demonstrando ter sido necessário que o Cristo padecesse e ressurgisse dentre os mortos; e este, dizia ele, é o Cristo, Jesus, que eu vos anuncio."
  • Atos 17:11, "Ora, estes de Beréia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda a avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim."
  • Romanos 4:2-3, "Porque, se Abraão foi justificado por obras, tem de que se gloriar, porém não diante de Deus.  Pois que diz a Escritura? Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça."
Não é a tradição que é utilizada para refutar erros, e sim a palavra de Deus.

 

Responsabilidade dos católicos

Para finalizar, se os católicos romanos querem dizer que nós precisamos da Sagrada Tradição para estarmos equipados doutrinariamente e espiritualmente, então eles precisam demonstrar que a Bíblia não é suficiente para o ensino, para a correção, para a repreensão e para a educação na justiça e nas questões doutrinárias.

Conclusão

As próprias escrituras declaram que são suficientes para que saibamos as verdades espirituais. Logo, não precisamos do Magistério Católico Romano, nem da Sagrada Tradição.
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook
COMENTE! LEIA NOSSAS REGRAS ▼
POLÍTICA DE MODERAÇÃO DE COMENTÁRIOS :
A aprovação do seu comentário seguirá os nossos critérios abaixo:

1 - Poste somente o necessário. Se quiser colocar estudos, artigos ou textos grandes, mande para nós por e-mail: resistenciaapologetica@gmail.com

2 - A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Comentários com conteúdo ofensivo não serão publicados, pois debatemos idéias, não pessoas. Discordar não é problema, visto que na maioria das vezes redunda em edificação e aprendizado. Contudo, discorde com educação e respeito.

3 - Comentários de "anônimos" não serão necessariamente postados. Procure sempre colocar seu nome no final de seus comentários (caso não tenha uma conta Google com o seu nome) para que seja garantido o seu direito democrático neste blog. Lembre-se: você é responsável direto pelo que escreve.

4 - Não aprovamos comentários que contenham ataques, deboches ou críticas irrelevantes e sem nada a acrescentar.

5 - Comentários que fogem do assunto da postagem serão limitados. Se quiser fazer uma crítica ou sugestão, utilize a página de Contato.

6 - Comentários tumultuosos e que apenas repetem objeções já abordadas e respondidas no artigo, serão ou deletados ou receberão uma dura resposta pela desatenção do autor.

7 - O Blog Resistência Apologética tem por objetivo à edificação e instrução. Comentários que não seguirem as regras acima não serão publicados.
Para mais informações, clique aqui!