Uma refutação ao Ekson Yeldo Totus Tuus Mariae






As páginas da internet e mais especificamente as redes sociais como o Facebook estão infestadas de militantes caóticos católicos agressivos, insolentes e abusados. Um contraste totalmente oposto a quem dizem representar, ou a quem dizem ser devotos idolatras seguidores... A saudosa, humilde, serena e graciosa, virgem Maria.
Tais sujeitos como o mencionado no título deste artigo não podem sequer ser considerados um exemplo de católico piedoso como o foi João Paulo II. O Papa polonês, foi um dos grandes ícones do catolicismo a propagar a EXPRESSIVA frase mariana "Totus Tuus Mariae"(TUDO POR MARIA), frase esta usada a esmo por romanistas de internet em seu próprio nome numa evidente suposição do que fazem... SÃO DEFENSORES DA FÉ E SUBMISSÃO A DEUS POR MEIO DE MARIA. Será mesmo?. 

Bom, essa ao menos é a propaganda que fazem alegando o mesmo que seu precursor histórico, o Luís Grignion de Montfort, ou mais conhecido como Luís Maria de Montfort em sua obra "Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Maria"Foi essa obra que deu origem a expressão “totus tuus” em referência a consagração total a virgem Maria. A expressão completa é “Tuus totus ego sum, et omnia mea tua sunt”, que quer dizer: “Eu sou todo teu, e tudo o que é meu te pertence”.(Fonte: TVD 233). 

Os romanistas de hoje usam essa expressão COMO UM JARGÃO a arrotar sua devoção mariana como se isso fosse algo que faça de alguém mais cristão que outro. Esquecem que não há verdadeira devoção a Maria, sem antes haver uma "consagração total a Jesus Cristo, a Sabedoria Encarnada, pelas mãos de Maria" como dizia L. Maria de Montfort, que ainda afirmava: "Para Deus, pela Sabedoria de Cristo, no Espírito, em comunhão com Maria, para o reino de Deus."

Ou seja, como são descarados idolatras, ignoram que a pregação de Luís Maria de Montfort é fundada sobre o mistério da Encarnação de Jesus Cristo, e está centrada em Cristo.

O Papa Pio XII foi um pontífice com uma forte devoção mariana, ele ficou impressionado com o trabalho de São Luís, e quando ele canonizou Montfort em 27 de julho de 1947, disse: "Só Deus era tudo para ele. Devemos permanecer fiéis à herança preciosa que nos deixou este grande santo (…)"[in Ancilla Gebsattel die vollkommene Hingabe an Maria St. Grigionhaus, Altötting 1956.].

Mais uma vez, os romanistas com suas manias de paganizar e idolatrar tudo, negligenciam isto e enxergam apenas o CULTO A MARIA.

Que o padre Luis pregava uma extrema devoção a Maria, disso ninguém duvida, mas o que é importante salientar é que essa devoção não era isenta do reconhecimento de que tudo deve ser PARA DEUS, e tal devoção não era expressada por meio de paranoias exageradas de expressões de idolatria ou marcha de conversão de tudo ao reino de Maria. Pois, tudo que é feito por Maria, não é feito PARA MARIA, é feito para DEUS, visto que sua intercessão nos leva a isso, pela sabedoria de Cristo, no Espirito, em comunhão com Maria, E... PARA O REINO... DE DEUS! Essa é a ideia da mariologia de São Luis de Montfort, ao ponto do Papa João Paulo II se render a seu Tratado de Verdadeira Devoção. 

Tal devoção é feita em piedade, caridade, amor, paixão. ISSO é o que é definido em ser devoto de Maria. Seguir o exemplo dela, de humildade, de amor, de confiança em Deus. Mas, o centro de TUDO ISSO, É CRISTO.

Mas como sempre, romanistas ginasianos corrompem sua devoção a Maria ao agir de maneira inescrupulosa, dando mal testemunho e pior, AGREDINDO QUEM não tem tal devoção a Maria, MAS TEM UMA MAIOR AINDA a CRISTO, a quem TODA DEVOÇÃO é devida.

Alguns alegam que não se contem ao ver a SANTA VIRGEM ser agredida e menosprezada. Contra isso afirmo que MUITOS de nós enxergam como uma agressão a CRISTO tamanha enfase que dão a MARIA. Todos sabemos que protestantes sensatos e honestos não fazem ataques a Maria, muito menos a devotos de Maria, as criticas são dirigidas as construções demasiadas, fabulosas e sem sentido que fazem acerca de Maria. Portanto, o que move esses católicos, na verdade é o ódio carnal egoísta do velho homem, ignoram que não é o COLO DE MARIA, muito menos seu amor por Maria que os faz serem nova criatura e sim A CRUZ DE CRISTO E A SUBMISSÃO A SUA VONTADE E O RECEBER PELA GRAÇA A JUSTIFICAÇÃO DE SEUS PECADOS. Quem não tiver isso, NEM MESMO toda a devoção do mundo a mãe de CRISTO, os fará serem de CRISTO, pois a CURA para nossas feridas do PECADO e o alivio as nossas dores, está em CRISTO, ninguém em sã consciência ao procurar um médico para tratar de sua dor aceitaria que outra pessoa a não ser o próprio médico, o atendesse, mesmo que fosse a mãe dele. Que nenhum cristão em sua caminhada da fé negligencie que o nosso alvo e centro é CRISTO, ainda que sua devoção nessa caminhada seja o exemplo de Maria.

A Bíblia não diz que somos irmãos por causa de devoção a MARIA, ela nos garante sermos filhos de DEUS, mediante o SANGUE DE CRISTO, este foi derramado por nós nos tornando filhos e herdeiros das promessas que estão EM CRISTO. Se devoção a Maria fosse critério de salvação, ou de demonstração de piedade cristã, então, NENHUM APÓSTOLO foi cristão, pois sequer a mencionam posteriormente em seus escritos no ponto crucial que era o estabelecimento da doutrina apostólica. Além disso sequer mencionam algum tipo de culto e veneração a ela que só surgiu SÉCULOS MAIS TARDE como atesta um historiador católico romano:


“O culto à Virgem Maria inexiste nas Escrituras e entre os católicos, durante quatro séculos é apenas um dos muitos abusos históricos que a Igreja cometeu". (Gary Wills - Papal Sin)


Outra fonte também católica assim nos diz:

"A primeira oração dirigida expressamente à Mãe de Deus é a invocação Sub tuum praesidium, formulada no fim do século 3 ou mais provavelmente no início do século 4. Não podemos dizer que a veneração dos santos – e muito menos a da Mãe de Cristo – faça parte do patrimônio original (“O Culto a Maria Hoje”. Vários autores, sob a direção de Wolfgang Bemert, Edições Paulinas, 1980, 3a. edição, p. 33).

Sendo assim não há porque tanto alvoroço dos romanistas em querer nos atacar por algo que sequer é patrimônio original do cristianismo. Seja o culto aos santos, ou a Maria. 

A explicação obvia de tanta diarreia mental romanista contra protestantes é que eles na verdade não admitem que nós não sejamos submissos a suas praticas romanistas. O protestantismo rompeu com o monopólio da Igreja Romana e isso pra eles é uma afronta. Ao terem seus dogmas particulares repudiados por nós, eles ao invés de evitarem confrontos desnecessários, preferem de desgastar em patéticas acusações, calunias, manipulações dissimuladas e nas mais diversas técnicas de nos descredenciar como cristãos. Amam fazer desafios que não podem sustentar e por isso, merecem atenção especial e uma boa resposta a cada uma de suas objeções. 

Vamos a elas.



Segundo a argumentação católica acima, o próprio Deus autorizou a veneração e o culto a imagens. Vejam acima diversos textos usados. O que na verdade é uma confusão no argumento católico. Pra começar, USAR TEXTOS EM QUE DEUS ORDENA A FABRICAÇÃO DE ÍCONES a serem usados no TEMPLO, ou para um propósito especifico, NÃO PROVA nada sobre se ter permissão de VENERAR TAIS ÍCONES ou dirigir preces, orações, procissões e cultos a tais ícones. Daí temos um espantalho feito pelos romanistas como se argumentar que TODA IMAGEM É UM ÍDOLO, fosse nossa objeção.

Resumidamente, Ídolo, é tudo aquilo que recebe adoração e veneração em forma de culto e que NÃO É DEUS. Ou tudo aquilo que é cultuado e que não é Deus, e idolatria consiste em cultuar TUDO AQUILO QUE NÃO É DEUS. É impossível e desnecessário ser mais objetivo que isso.

Percebe-se a fraca argumentação espantalho dos romanistas neste outro print:


Gostaria de saber onde Deus ordenou ou sugeriu em algum momento que cada judeu daquele tempo, se prostrasse aos querubins de ouro na arca, ou dirigissem culto e orações aos querubins. Esse romanista ignorante não tem ideia da imbecilidade de seu próprio argumento que refuta a ele mesmo.

Mas a ignorância e a euforia em cima de seu próprio espantalho não parou aí. Próximo print....



Não! Quem não entendeu foi o romanista acima. TODO OBJETO QUE RECEBE CULTO, PROSTRAÇÃO, PRECE, ORAÇÃO, DEVOÇÃO no LUGAR DE DEUS, é um falso deus. PORTANTO é um ídolo. Os judeus entenderam muito bem isso, tanto que em lugar algum eles ousaram fazer imagens de seus profetas, juízes e reis para os venerar ou dirigir preces a eles. Se acaso um ídolo se resumisse em sua definição apenas a deuses falsos, divindades falsas, os judeus não veriam e nem teriam problemas em cultuar imagens de seus próprios profetas.  Fato interessante é que nenhum hebreu ou judeu se achou no direto de reproduzir imagens dos querubins ou da arca da aliança para as ter em casa e dirigir culto a elas ou orações e preces, mesmo que fosse na desculpa de se estar fazendo isso a Deus. Até mesmo a serpente de bronze feita no passado, foi destruída séculos depois por ter se tornado objeto de culto. 

Mas não basta essa patética argumentação dele, agora passa a alegar o que não pode sustentar sem se auto-refutar. Vejam mais essa:


Este texto está em Isaías 45:20 e nas própria bíblias católicas em mais de uma versão, inclusive na vulgata, está assim:


"congregamini et venite et accedite simul qui salvati estis ex gentibus nescierunt qui levant lignum sculpturæ suæ et rogant deum non salvantem"



Ao pé da letra, a tradução oficial da igreja romana nos diz assim:

"Ajuntai-vos, e vinde; chegai-vos juntos, os que se salvam dos gentios, nada sabem os que fazem esculturas de madeira e rogam a um deus que não pode salvar."


Agora vejamos a versão também católica, Latino Americana:


Reúnanse y vengan, acérquense y traten de entender, ustedes que sobreviven entre las naciones: Son tontos los que le creen a una estatua, a una cosa de madera, y rezan a un dios incapaz de salvar.


Literalmente, esta outra versão católica nos diz " São tolos os que creem em uma estátua, numa coisa de madeira"

Agora a versão grega do CODEX SINAÍTICO:

"ϲυναχθητε και ηκετε · βουλευϲαϲθαι αμα οι ϲωζομενοι απο τωνεθνων · ουκ εγνωϲαν οι εροντεϲ ┬ ξυλαον γλυμματα αυτων · καιπροϲευχομενοι ωϲ προϲ θεουϲ οι ου ϲωζωϲιν"

Observem a parte destacada, ela diz "ουκ εγνωϲαν οι εροντεϲ ξυλαον γλυμματα αυτων"

Ao pé da letra, a tradução é:

"Nada sabem estes que levam imagens de madeira"

Agora, o grego γλυμματα, também se traduz por EFIGIE, PINTURA OU ESCULTURA. Como vemos no livro de Eclesiastico 38:27 da septuaginta. Outra palavra grega do codex que aparece é "εροντεϲ", onde ela também é usada no codex na passagem de I Crônicas 15:27, ao se referir aos levitas que LEVAVAM a arca. Agora, fato interessante é que os próprios católicos usam essa mesma passagem dos levitas LEVANDO A ARCA para validarem suas PROCISSÕES. Não é engraçado isso? 

A alegação deste tolo romanista ignora que, se caso a sua acusação de adulteração for válida, então A PRÓPRIA BÍBLIA CATÓLICA TAMBÉM É ADULTERADA. E a própria defesa que fazem para validar suas procissões, TAMBÉM SE TORNAM INVALIDAS. 

Então perfeitamente a tradução de nossas bíblias podem ser tomadas como:

"Congregai-vos, e vinde; chegai-vos juntos, os que escapastes das nações; nada sabem os que conduzem em procissão as suas imagens de escultura, feitas de madeira, e rogam a um deus que não pode salvar."
Isaías 45:20

Portanto, isso já detona com a acusação de adulteração por parte do Ekson, a não ser que ele admita que sua bíblia católica também esteja adulterada pois além dela mesma trazer as palavras... ESTÁTUA E ESCULTURA DE MADEIRA,  pra piorar, o próprio CODEX traz a descrição do que é feito com estas imagens, que é a ação de "εροντεϲ", ou erontes, a mesma que aparece descrevendo OS LEVITAS LEVANDO A ARCA. E que tipo de ação era aquela que os próprios católicos dizem? Ora, UMA PROCISSÃO. 

O que o texto implica claramente é um repudio aqueles que LEVAM, ou que carregam em procissão IMAGENS DE ESCULTURA, e se configura idolatria levar uma imagem em procissão por que? Ora, devido a ação de ROGAREM, DIRIGIREM ORAÇÕES a estas imagens. O que é muito diferente dos LEVITAS LEVANDO A ARCA, pois estes não prestavam culto nem ROGAVAM A ARCA. Portanto, o ÍDOLO ali, é aquilo que não É DEUS mas é alvo de ações devidas apenas a DEUS. Não interessa que nome seja dado a tal IMAGEM DE ESCULTURA, tenha ela o nome de um deus pagão; um santo católico ou um profeta judeu. QUALQUER AÇÃO DE SE PRESTAR CULTO, ORAÇÕES E PRECES A UMA IMAGEM, se configura em evidente IDOLATRIA. 


Mas, a argumentação do romanista prossegue:



Agora, aqui cabe uma pergunta. Existe algum outro Deus? A resposta é obvia. NÃO! Sendo portanto que não há outro Deus, o que se apresenta como, é UM FALSO DEUS. Mas como algo pode ser um falso Deus, se não existe outro? Como Deus, O DEUS VERDADEIRO poderia se incomodar com ÍDOLOS ou qualquer imagem sagrada se nada eram? Por que Deus se incomodaria com o que não existe? Por que Deus faz expressa proibição contra a fabricação de toda imagem semelhante ao que há no céu, na terra, no mar e debaixo da terra? Disso logo entendemos, que a condenação divina era expressa diretamente AO QUE ESTAVA ENVOLVIDO NA FABRICAÇÃO DO ÍDOLO, e era exatamente A AÇÃO PRESTADA A ESSAS IMAGENS, O QUE AS TORNAVAM EM ÍDOLOS. 

Portanto não é a imagem em si e por si que é o ÍDOLO. Pois ela nada é, sendo apenas uma aparência do que se propõe que ela represente. Contudo quando uma imagem passa a receber aquilo que é DEVIDO A DEUS, imediatamente ela se torna um falso deus. Tudo aquilo que recebe de nossa parte o que se deve ser oferecido a DEUS, se torna um ÍDOLO, um falso deus. Posto que algo não é DEUS, evidentemente não deve receber aquilo que DEUS EXIGE A ELE EXCLUSIVAMENTE. Como eu disse antes, os judeus entenderam muito bem isso e por isso, JAMAIS CONFECCIONARAM qualquer imagem de seus profetas, isso para evitar que aquilo que se deve a DEUS fosse oferecido a suas imagens. Mas o catolicismo se achou no direito de considerar ídolo apenas os falsos deuses, e assim prestam o que se deve a DEUS, rogos, preces, culto, também a imagens.

Logo, cabe ao Ekson provar que no VT em algum momento DEUS consentiu que se prestasse culto, rogos, preces, orações e procissões a imagens sagradas. Só o que encontramos em toda a escritura, é a expressa condenação a imagens que recebem aquilo devido apenas a DEUS. No passado tais imagens recebiam o nome de deuses, hoje, recebem o nome de santos. Não importa o rótulo que coloquem, o contexto é o mesmo, e é a condenação ao ato de se dirigir culto a tudo aquilo que não seja o próprio DEUS VERDADEIRO.

Contudo a teimosia romanista em querer provar o que não existe se mostra cada vez mais ridícula. Vejamos:


Ora, claro que sabemos que nenhum católico acredita que uma imagem de santo ou anjo é um deus. Mas isso só os denuncia, pois mesmo sabendo que suas imagens não são deuses nem alguma divindade, AINDA ASSIM eles prestam a elas aquilo que se deve apenas a DIVINDADE. Será que este sujeito não percebeu que ele se auto refutou? Do que a bíblia chama TUDO AQUILO QUE NÃO É DEUS e recebe culto, preces, rogos e procissões? ORA, DE ÍDOLOS. Então, eu é que pergunto se preciso desenhar pra ver se gente como esse cara entende uma coisa tão simples de se perceber. E é o fato dele ser um idolatra descarado pior que o mais herege paganista, pois tem a cara lavada de usar a ESCRITURA para justificar sua idolatria. 

Este romanista deveria continuar calado, para poupar que tomasse uma bela surra apologética. Contudo, vejamos mais o que ele diz, só que no próximo artigo desta série de refutações.


Paz e bênçãos em Cristo a todos. E a verdade a qualquer custo.
Att: Elisson Freire.




Considere apoiar financeiramente o blog. Qualquer valor doado contribui muito para a difusão do conhecimento!
fixtemplates Pro
Publique seu artigo! Será um grande prazer contar com sua colaboração.